sábado, 1 de maio de 2010

Por que sou ecumênico?

Antes de mais nada, quero afirmar que sou evangélico convicto e defensor das doutrinas gerais do protestantismo. Creio que só Jesus Cristo é o mediador entre Deus e os homens. Professo, publicamente, que a Jesus, somente, seja dado glórias. Maria, na minha crença, foi simplesmente (escolhida) a mãe de Jesus, não mãe de Deus. Não creio no purgatório e nem possuo imagens de escultura (mas acho certas pinturas católicas extremamente belas).
No entanto, há, entre protestantes, quem não concorde que irmãos de outras denominações (protestantes) vá para a glória eterna. Comungo, em parte, com o Teísmo Aberto (Teologia Relacional), e vejo que muitos (a maioria absoluta sem entender) relegam tais simpatizadores de tal teologia ao vitupério. Arminianos não consentem que calvinistas conheçam o Amor e os esconjura. Pentecostais afirmam que tradicionais não são convertidos e estes (tradicionais) chamam aqueles de "seita".
Diante de tudo isso dá para se afirmar que poderemos chegar a um avivamento na Igreja de Cristo sem deixarmos de levar em conta aquilo que nos separa? Será que podemos, juntos, unidos, proporcionarmos uma pregação das Boas Novas ao mundo todo? Sou evangélico e nunca deixarei de sê-lo, mas me esforçarei para que um anticatolicismo deixe de existir e o Evangelho seja anunciado.

Salvação e caráter em Cristo Jesus.

2 comentários:

Yamara disse...

Concordo com você.Embora ache mais ilusão de nossa parte que realização.Já que encontramos poucos que se aventurem a não temer o inferno ao dissermos outros pensamentos que não sejam o da maioria. O medo do inferno leva muita gente para as igrejas, mais do que o amor possa levar a obra redentora de Jesus.

Marlon Marques disse...

Olá Yamara,

Ilusão da parte de evangélicos que não entendem o que é união. Sempre me esforçarei para que a Igreja de Cristo seja sempre unida.

Abraços!