sábado, 11 de novembro de 2017

Dupla Justificação: A Necessidade de Boas Obras para a Salvação

        


     A salvação é algo que todo cristão deve prezar, seja a sua própria salvação ou a salvação das pessoas que estão ao seu redor. Jesus mesmo disse que veio para salvar o mundo, e não para condená-lo (Jo 12:47). Entretanto, devemos analisar como é que somos salvos e quais são as evidências que percebemos na vida de um autêntico salvo.
      Paulo assevera que somos justificados somente pela fé sem as obras da lei (Rm 3:28). Em outra de suas cartas, a endereçada aos gálatas, Paulo também enfatiza que somos justificados pela fé somente e que as obras não fazem parte desse processo de justificação (Gl 2:16). O que quero deixar bem claro é que há uma confusão escancarada quando não se analisa o tipo de obras que aparece nesses versos bíblicos e o que aparecem em outros momentos nas Escrituras seja da parte de Paulo, da de Tiago e até mesmo da de Jesus Cristo, o nosso Senhor. 
      Quando Paulo aborda as obras em Romano 3:28 e em Gálatas 2:16, ele deixa bem claro que são as obras de lei, que, realmente, não podem justificar ninguém, pois ele mesmo afirma que a lei serve para mostrar que o ser humano é pecador (Rm 7:7). Ele afirma também que é impossível ser justificado pela lei (Rm 8:3), ou seja, nenhuma obra da lei pode nos justificar. Independente se os judeus faziam isso para serem salvos (interpretação tradicional) ou para se manterem salvos (interpretação da Nova Perspectiva sobre Paulo), a lei era totalmente inútil quanto a qualquer tipo de justificação. 
      É preciso ser salientado que há sim um tipo de obras que são necessárias para a consumação da salvação, que são as boas obras. Como foi destacado acima, as obras da lei não tem parte alguma na salvação humana. As que têm parte no processo de consumação e evidência da salvação são as boas obras. Estas mesmas que Paulo afirma que Deus as preparou para que as praticássemos (Ef 2:10). 
     A questão mais pertinente é quanto a Tiago. Ele afirma que o ser humano é justificado pelas obras, e não somente pela fé (Tg 2:24). O grande piedoso e erudito John Fletcher, grande amigo e parceiro de John Wesley no movimento metodista, afirma que somos duplamente justificados para sermos salvos. A primeira justificação ocorre pela fé apenas (Rm 3:28; Ef 2:18) e a outra se dá pelas obras, não as da lei, mas sim as boas obras (Tg 2:24). Independente se alguém queira afirmar esse termo dupla justificação ou não, a questão é que as boas obras se fazem necessárias na vida do justificado. Isto não há como negar. Tiago aborda isso na passagem mencionada, assim como Paulo, que já vimos, e Jesus, que afirma que devemos dar frutos (obras) que evidenciam nosso arrependimento (Mt 3:18), que nossa justiça (obras) deve ser maior que a dos fariseus (estes faziam muitas aparentes boas obras) e que nossas boas obras sejam vistas por todos para a glorificação de Deus, nosso Pai (Mt 5:16). 
     Pode ser concluído que todo cristão, necessariamente, deve praticar boas obras para evidenciar sua salvação em Cristo Jesus. Não há como ser salvo se não houver boas obras. A única exceção são nos casos de pessoas que são justificadas ao crerem e depois, no mesmo instante, morrem, como no caso do ladrão na cruz ao lado de Jesus (Lc 23:32-43).
        

7 comentários:

Anônimo disse...

Não posso concordar com seu artigo, mano.

Você acerta quando afirma que ninguém será salvo pela lei ,mas erra quando diz que há "boas obras" são necessárias para a consumação da salvação.
Até parece que as obras da lei são ruins.A lei foi dada por Deus, lembra?
A questão em Tiago , não é obras ,mas que tipo de fé.Tiago está examinando dois tipos de fé: Uma que leva às obras para Deus e outra que não. Uma fé verdadeira e a outra é falsa. Uma é morta e a outra é viva; daí: A fé sem obras é morta (Tiago 2:26).


Ninguém será justificado pelas obras, independente qual seja, para não se gloriar.
Dar esmola salva? Se lermos Tiago fora do contexto concluiremos que sim. Tiago 9.15,16.
Rei Manasses cometeu pecados horríveis; arrependeu e alcançou perdão.2Crônicas 33.1-17
Se a salvação for por méritos,onde estava os méritos de Manasses? Será que ele, Manasses , poderia orar como Jó :Pese-me Deus em balanças fieis Jó 31:6 ?
Manassés nos lembra o filho pródigo do Novo Testamento. Desfalecendo no cárcere assírio, deu-se conta da sua situação e clamou a Deus pedindo misericórdia e perdão.



Se no final da sua vinda, vc tiver mais fé que obras, vc perderá a salvação?


P.S NÃO SOU CALVINISTA

Anônimo disse...

As Boas novas contidas na parte da Palavra de Deus dirigida aos crentes após o dia de Pentecostes é que Jesus Cristo cumpriu todas as condições necessárias para que, confessando-O como Senhor e crendo que Deus o ressuscitou dentre os mortos você estará justificado e salvo.

Atos 16:30-31
“Então ele os trouxe para fora e disse,” Senhores o que devo fazer para que seja salvo?”E ele disse,” Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e a tua casa.”

Esta é uma notícia muito boa, não é? Efésios nos diz:

Efésios 2:8
“Porque PELA GRAÇA sois salvos mediante a fé: e isto não vem de vós: é DOM de Deus: Não por obras, para que ninguém se glorie”

Note que na carta aos Efésios Paulo não relaciona obras com a LEI. Obras aqui, é qualquer boa obra, independente da Lei de Moisés.

Mais uma vez vemos que um homem não é justificado por obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo! Se fosse pelas obras, eu poderia dizer: "Olha eu fiz mais do que eu mereço mais do que você.." Ninguém merecia algo de Deus. Foi Deus que, motivado por Seu amor por nós, sacrificou o Seu Filho para que, crendo nEle podemos ser justos e salvos. Isso é realmente graça! Maravilhosa graça!

Vocês, arminianos, de 5 pontos, têm feito muito mal ao Evangelho da Graça.

Marlon Marques disse...

Anônimo, quem és tu?

Eu afirmo o que as Escrituras dizem, através de Paulo, em Ef 2:10, que somos criados para fazermos boas obras. Portanto, devemos sim evidenciar nossa salvação fazendo boas obras. Tiago, no capítulo 2 de sua carta, deixa isso bem claro. Somos justificados tanto pela fé quanto pelas obras. É fato! Não é questão de ler Tiago fora do contexto. Devemos ler sem nossas lentes teológicas impostas. Tiago diz para mostrar tua fé sozinha, sem obras, que não vale nada, que eu ele mostra a sua fé com obras.

Não tem essa questão de se no final da vida tiver mais fé que obras será salvo ou não. Apropriar-se da salvação é somente pela fé. Mas como elucidei, para manter e evidenciar sua salvação, há que ter boas obras. Se muitas ou não, não importa.

Marlon Marques disse...

História, qual o seu nome?

Você não entendeu o que escrevi. É uma pena! Em nenhum momento eu neguei que a apropriação da salvação não seja pela fé somente. Releia de novo o que escrevi. Sobre Ef 2:8, leia o verso 10, como destaquei no comentário acima e no texto, pois lá Paulo afirma que fomos criados para fazermos boas obras. Fazer boas obras deve ser algo natural ao crente verdadeiro.

Desconsiderarei você afirmar que os arminianos de 5 pontos têm feito muito mal ao Evangelho da Graça. Qualquer grupo pode dizer isso do outro grupo. Desnecessário isso que você escreveu.

Alison Aquino disse...

Ola, Marlon. Artigo interessante. Mas tenho algumas duvidas.

1- O que seriam as obras e o que seriam as obras da lei?
2- Se eu entendi bem, seu ponto de vista é de que existem duas justificações, a saber: a primeira no momento que o incrédulo crê (justificação pela fé), e a segunda seria uma vida de boas obras até o fim da vida. Seria isso mesmo? Essa justificação seria semelhante a doutrina da justificação proposta pela igreja católica, que afirma que "acumulamos justiça" para sermos justificados no final São dúvidas sinceras. Aguardo resposta!

Marlon Marques disse...

Olá, Alison.

1 - Obras da lei eram os rituais dos judeus para serem salvos. Paulo quando fala que somos justificados pela fé e não pelas obras. Essas obras são as da lei, e não boas obras.

2 - Sim. Uma justificação pela fé e uma justificação final pelas obras. Mas não há esse acúmulo de méritos ou de justiça.

Natan Santos disse...

Quem são os outros teólogos que defendem essa mesma linha de interpretação? Pode citar irmão Marlon.

Além dos nomes dos teólogos, pode também colocar as fontes deles em relação ao assunto?