sexta-feira, 19 de agosto de 2011

John Stott, Um Grande Servo a Serviço do Reino

                                                     

  John Stott é o meu teólogo predileto dentre os três que mais gosto. Um homem que sempre buscou um cristianismo equilibrado, que, aliás, foi o tema de um dos diversos livros seus que tive o prazer de ler. Stott foi um ministro fiel e dedicado ao Evangelho. É reverenciado por todos os segmentos evangélicos, desde os fundamentalistas, passando pelos evangelicais e até de liberais (se é que estes pode-se considerar evangélicos).

     Certamente um habitante do Reino está agora a Glória. Consenti sempre com, praticamente, todos os pensamentos de John Stott antes mesmo de saber que ele pensava de tal forma. Que Deus o tenha! Não poderia deixar de mencionar meus pêsames e reverência a esse grande homem e servo do Deus altíssimo.

    John Stott, um teólogo e ministro do Evangelho íntegro e temente ao nosso Senhor!

2 comentários:

PCamaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PCamaral disse...

A paz do Senhor

Marlon, existe pouco material, além da Bíblia Sagrada que fala sobre o tema. Posso dizer que 99% dos crentes defendem o sofrimento eterno e que, a meu ponto de vista dão a entender que detestam esta teologia. Parece que as pessoas [crentes] "vibram" com o sofrimento eterno dos outros, os não salvos.

Pense bem: Vamos usar de exemplo um parente meu, ou meu pai, minha mãe e assim por diante, pessoas que amei na vida e que não aceitaram o convite do Senhor, ou não foram por Ele "escolhidos para a Salvação" essas pessoas estarão ETERNAMENTE SOFRENDO NO INFERNO. É ou não é, de certa forma, um sadismo de nossa parte.

Olhando assim parece que tenho prazer no sofrimento deles, como se eu disesse "Bem feito, agora tu vai sofrer eternamente seu "impio" "descrente" "pecador"! Imagine eu no céu, defrutando face a face com o Senhor e meu pai, meu irmão que não aceitou, sofrendo no fogo eterno do inferno.

Eu creio em um Deus de amor e que é Soberano para extinguir de vez a existencia e não irá deixar no sofrimento eterno aqueles que não forem salvos.

O grande problema de aceitar o aniquilacionismo é que ele derruba diversas outras doutrinas como a do inferno, a imortalidade da alma, a grande tribulação, o arrebatamento como descrito pela grande maioria. Que não admitem abrir mão dessas teologias.

John Sttot defendia esta teologia mas pouco divulgava e até mesmo combatida, e para não sacrificar o todo de sua obra falava pouco ou quase nada.

Se antes de condenar a doutrina como "anti-bíblica ou herege" cada um pegasse sua Bíblia e estudasse [sem ser tendencioso] com a dedicação necessária, e a dependencia do Espírito Santo, creio que Deus revelaria de bom grado esta questão.

O que tenho está publicado no blog

http://blogdopcamaral.blogspot.com/2010/03/as-ressurreicoes.html

http://blogdopcamaral.blogspot.com/2010/11/o-que-biblia-ensina-sobre-o-milenio.html

http://blogdopcamaral.blogspot.com/2010/11/minha-crenca-sobre-o-milenio.html

http://blogdopcamaral.blogspot.com/2010/03/vinda-de-jesus.html

Deus te abençoe!