quinta-feira, 7 de abril de 2011

O Reino Já Está Entre Nós




O Evangelho somente é compreensível quando não tentamos compreendê-lo. No momento em que fazemos de tudo para explicá-lo de uma forma que faça sentido em tudo, ele se esvai. O Evangelho são boas novas, notícias que promovem mudança de comportamento. O manifesto do Reino está muito bem sintetizado no famoso Sermão da Montanha. Em nenhum ponto desse sermão está incluído algo que não seja o enfoque no outro que é, nada menos, o reflexo do Pai, seja esse outro um aspirante ao Reino ou não.

            No Reino se entra mediante a Graça e por meio da Justificação. Sendo assim, não há Salvação fora do nosso Senhor Jesus Cristo. Ele atrai todos para o Seu Reino de amor. Só não se entra nesse Reino quem não quiser mesmo. A porta não está apenas aberta, mas escancarada por Aquele a quem todos se prostrarão. Imagine se todas as igrejas refletissem esse Reino aqui e agora! Seria maravilhoso! De tão maravilhoso que possamos pensar, mesmo assim seria apenas uma prévia. O melhor ainda estaria por vir.

            Jesus disse que esse Reino não começa depois desta vida. Ele disse que o Reino já está entre nós (Lc 17:21). Não é maravilhoso?! Acheguemos-nos com confiança perto dEle, pois tanto Ele quanto Seu Reino JÁ está entre nós. 

2 comentários:

Dennis disse...

Não tenho medo, Jesus, de confiar na tua capacidade de me conduzir, apesar da estrondosa limitação do meu entendimento. Tua condição de Mestre e Salvador é totalmente suficiente para me guiar em segurança.

Maíra. disse...

No momento em que fazemos de tudo para explicá-lo de uma forma que faça sentido em tudo, ele se esvai.

O conhecimento, para nós seres humanos, funciona da seguinte maneira... nós analisamos, estudamos, classificamos, ordenamos, racionalizando todas as coisas para dessa forma adquirir "poder" sobre elas. Ora, quando nós nomeamos e conceituamos as coisas estabelecemos uma relação de dominação sobre elas, uma relação de dominação simbólica.
Penso eu com meus botões que essa postura que temos ao tentarmos fazer a mesma coisa com o evangelho, ou seja, enquadrá-lo aos nossos esquemas lógicos de pensamento é nada mais do que uma tentativa desesperada do nosso ego de afirmar que nós dominamos também esse conhecimento.
Porém há dois problemas aí, o primeiro é que Deus resiste ao soberbo. Como Jesus disse, Ele encobre coisas maravilhosas ao entendimento dos sábios e as revela aos pequeninos. O segunda é que o conhecimento de Deus não é alcançado senão por meio da Sua própria revelação, a qual é dada de graça, graça que atua pela fé, sem a qual é impossível nos achegarmos a Deus.
Posto isso, podemos afirmar com convicção que aqueles que buscam compreender a Deus e suas intenções (as quais são expostas através do evangelho) por seus próprios meios e esforços, estarão entrando em contato com um conhecimento que, embora possa até ter aparência de espiritual, é nada mais do que a extensão de seu próprio orgulho materializado em forma de saber.