sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Nascer de Novo X Impecabilidade

Muitos confundem nascer de novo com incorruptibilidade. Com esse pensamento pode-se haver uma auto-reprovação, supondo que não se pode mais ter tendência para pecar, pois eis que tudo já se fez novo. No entanto, não é essa a interpretação adequada. A humanidade caída ainda estará sempre conosco. A transformação dos nossos corpos não é no momento da nossa conversão. Isso não está registrado em nenhum lugar nas Escrituras. Vejo que há muita ignorância em alguns nesse aspecto. Muitos fazendo essa confusão por não ler as Escrituras. É até normal esse pesar pela falta cometida, mas não é normal sentir isso e atribuir que não se nasceu de novo. Jamais devemos pensar assim.

O fato de nascer de novo é não ter mais uma consciência cauterizada, mas, renovada. Devemos nos lembrar que é nossa consciência, nosso entendimento que se renova, não, nossa situação de queda. Somos conscientes que precisamos cada vez mais da presença de Jesus na nossa vida, devido ao fato de nossos corpos ainda estarem corruptíveis. Não devemos pecar deliberadamente, como o escritor aos Hebreus nos alerta. Nascer de novo é desfrutarmos do caminhar com o Senhor em nossa jornada. É entendermos que, infelizmente, pecaremos ainda, mas todos os nossos pecados não serão mais levados em conta para o tribunal celestial, pois o sangue do Cordeiro de Deus nos justificou. Não há mais qualquer condenação para os justificados.

Desfrutemos do novo nascimento sabendo que sempre será novo. Por mais que se passem os anos, sempre será novíssimo. A caducidade não existe no que é divino. A impecabilidade ainda não nos veio, mais o novo nascimento, que é maravilhoso, sim.



Salvação e caráter em Critso Jesus

Um comentário:

Yamara disse...

Li seus escritos e reconheço que a esperança está em seu coração. Porém gostaria de ater-me no tudo que li.Certa de que encontrarei espaço em meio de sua elaborada preocupação em deixar claro sua fé em Jesus como sendo seu Senhor e salvador. Tenho por ti um enorme carinho que o seminário deu-me de presente. Não tenho vergonha de dizer que sou cristã e como tal reconheço nossos limites humanos.E é por isso que entendo que durante toda a odisséia da Igreja onde houve muitas insurreições causando assim um cristianismo meio inseguro e muito violento. Onde intelectuais,filósofos,teólogos deram suas versões sobre o que seria o cristianismo. Fazendo que com isso as denominações viessem a existir e nocauteando nossa fé.Dividindo um povo e nos tornando frágeis. Tirando a simplicidade das boas novas de Jesus. Creio que hoje o mundo não nos tem como exemplo como era no passado, viramos modismo e nem mesmo somos mais chamados de loucos. No que nos tornamos? Seja bendito nosso Senhor por seu amor por nós e sua grande misericórdia Concordo com você e acrescentei meu ponto de vista. Fica com Deus.